ArTeC apresenta: 'Os Amigos de Gabriel' de Marcantonio Del Carlo (Maio de 2010)

Data do evento: 
Sex, 07/05/2010 - 22:00 - Sáb, 29/05/2010 - 22:00
Horário: 
Dom, 2 de Maio, Teatro da Malaposta às 16h
Horário: 
7, 8, 14, 15, 21, 22, 28 e 29 de Maio às 22h, F-Letras da UL
Horário: 
Sáb, 12 de Junho, Associação Cultural Pauta Humana, Aveiro
Preço: 
2 euros
Sala: 
Bar Novo da Faculdade de Letras da UL

Caríssimos,

O ArTeC, Grupo de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa tem o prazer de apresentar:
“Os Amigos de Gabriel”, de Marcantonio Del Carlo.

Segundo o dicionário de Língua Portuguesa da Texto Editora:
Amador adj. e s. m. 1 amante. 2 namorado. 3 apreciador. 4 cultor curioso de qualquer arte.

Onze anos depois, o grupo revisita um dos seus textos de maior sucesso e que tanto lhe diz. Em “Os Amigos de Gabriel”, olhamos para o teatro da melhor maneira que sabemos: a de amadores.

Sinopse

Esta é a história de um grupo de teatro universitário, os Sem-Abrigo, que nunca teve subsídios nem estilo dramático definido. Um belo dia, Gabriel, o líder do grupo, decide escrever uma peça e encená-la. Isto cria um certo mal-estar dentro de um grupo de amadores, cuja maior virtude sempre foi um espírito colectivo no que diz respeito à criação.

Um enredo humorado e cheio de revezes que irá surpreender os espectadores chamados a participar no espectáculo de forma original e divertida.

Um texto original do actor e encenador Marcantonio Del Carlo, levado à cena pelo ArTeC nos anos 90, agora reescrito pelo mesmo, que retrata a realidade do dia-a-dia de todos os que se dedicam ao teatro amador, procurando escapar ao quotidiano académico, aborrecido na forma e inconsequente nos conteúdos.

Muitos fazem-no cantando numa tuna, ou escrevendo no jornal da associação de estudantes, ou fumando charro atrás de charro. Outros, a maioria, frequentando as festas da universidade. Os Amigos de Gabriel recorrem ao teatro para se esquecerem que talvez, quando acabarem o que Bolonha lhes impingiu, irão parar ao tal desemprego de que todos falam, mas ninguém quer saber.

“Escrevi e encenei outra vez uma história de pessoas comuns que recusam a banalidade da sua existência.”
Marcantonio Del Carlo

Reservas: 96 442 84 11