CURSO INTENSIVO EM ENTREVISTA FORENSE [E-Learning] - 6ª Edição

Destinatários: 
O Curso Intensivo de Entrevista Forense destina-se a finalistas de licenciatura, mestrado e profissionais das áreas da Psicologia, Criminologia, das Ciências Forenses, Ciências da Saúde, Direito; Polícias, Militares, Profissionais da Carreira Judiciária; áreas afins e/ou equivalente legal;
Coordenador do curso: 
Professor Doutor Carlos Fernandes da Silva (Probono) e Mestre Paulo Pinto
Total de horas ou semestres: 
25 horas (03 horas de sessões síncronas e 22 horas de sessões assíncronas)
Créditos ECTS: 
até 3 ECTS
Anos em que abrem vagas: 
2016
Prazo de candidaturas: 
Quarta, 11 Maio, 2016 - Terça, 17 Maio, 2016
Data prevista para o curso: 
Quinta, 19 Maio, 2016 - Sexta, 3 Junho, 2016
Horário: 
Sessões Assíncrona: horário gerido pelo formando
Horário: 
Sessões Síncronas: das 21h30 às 22h30 // das 21h00 às 22h00
Propina ou preço: 
inscrição €125

Gnosiologia, Psicologia e Interrogatório

Objetivo e subjetivo: definições operacionais e teoria do conhecimento (gnosiologia)
Verdade, Falsidade e Mentira: a intencionalidade (abordagem fenomenológica)
Atenção, Perceção, Memória, Criatividade
a) O papel da restruturação no input, no processamento e no output
b) Princípios gestálticos
c) Intermodalidade
d) Sensibilidade à interferência
e) Lei de Yerkes-Dodson, lei da Primazia e Recencia
f) Memórias “cintilantes” e as amígdalas temporais
g) Heurísticas e Decisão
h) Falácias lógicas na avaliação forense: exemplos práticos e evidência científica. Lógica e causalidade (Bateson)
Mitos acerca da deteção da mentira: evidência científica
A impostura intelectual “Lie to me”. O que revela a expressão facial, a postura e os gestos? O efeito “Otelo”
Bonecas e diagramas anatómicos, “manchas”, figuras humanas, desenhos de família. Erros matemáticos no “tratamento” das escalas ordinais (ex., Likert)
Indicadores de mentira, Discurso e Entrevista. “Falsas” memórias
Psicofisiologia da mentira:
a) Medidas periféricas (usos e abusos do polígrafo), (Foto) pletismografia genital e pedofilia
b) O sujeito culpável e o conhecimento culpável
c) Metodologia experimental do NeuroLab (Universidade de Aveiro)
d) Medidas “centrais” (ex., potenciais evocados: N 400)
Síntese

Entrevista Forense

Introdução ao tema da entrevista forense
Tipos de questões
Estimulação da memória episódica
O estabelecimento da relação com o entrevistado
Enquadramento legal e na investigação criminal
Introdução ao tema da entrevista em investigações
A entrevista como processo de comunicação humana
A comunicação humana em contexto de entrevista de investigação de atos ilícitos
Interpretar a linguagem verbal e não-verbal
As qualidades do entrevistador
Identificar as formas corretas para gerir a empatia
Cuidados próprios da entrevista realizada em contexto de esclarecimento de um quadro factual
Os aspetos legais relacionados com as entrevistas em investigações
Um modelo estratégico para realização de uma entrevista

Exercícios Práticos

Exercícios práticos de entrevista e interrogatório