Grândola é um passo de marcha

Grândola é um passo de marcha

Uma voz que não se cala e ao alto se levanta

E já não passa de moda como alguns querem crer

Grândola é um grito novo de revolta

De nova ânsia de liberdade e de pão.

Grândola há de sempre voltar a mover-se

Quando a um povo já não estendem a mão.

Grândola é o hino dos oprimidos,

O hino da democracia

Sem falsos pudores ou hipocrisia,

E se há quem já não lhe ache graça

E até quem dela duvide,

E outros motivos lhe encobrem a carapaça

É porque nunca a cantaram em criança.

Grândola é um passo de marcha

Que em sintonia o povo trota em harmonia,

Um navio desfraldado ao mar

Um tambor que passa suave na praça a rufar

Um sonho que alguns teimam em sonhar

Um bater de asas lá do fundo

Das cinzas a renascer lentamente de novo.

Grândola é um passo jovem em marcha

Que se estende de norte a sul

Ensinando a quem não a aprendeu

Relembrando a quem dela se esqueceu.

0
Ainda sem votos